Obstrução na rede de esgoto pode ser causada por acúmulo de gordura

Despejar óleo de cozinha na pia pode causar grandes estragos ambientais e econômicos

Sabe aquele resto de óleo de cozinha derramado na pia ou no ralo da sua casa? Pode parecer insignificante despejar o óleo na pia, mas um dia esse mesmo produto descartado pode contribuir para o entupimento da tubulação e o esgoto retornar para dentro da própria residência, trazendo transtornos aos usuários e à vizinhança. A Embasa conhece bem esse problema quando recebe demandas para desobstruir rede coletora de esgoto, algumas delas ocasionadas pelo acúmulo de gorduras (óleo petrificado).

A Embasa registra mensalmente uma média de 250 pedidos para desobstruções de esgotos, coletados por meio de ramais convencionais e condominiais. Esses transtornos podem ser causados pela existência de óleo, lixo ou ligações clandestinas de água da chuva nos dutos por onde deviam passar apenas dejetos.

O óleo na tubulação é um inimigo silencioso. Com o tempo, ele fica petrificado, acarretando a obstrução da rede de esgoto. Para evitar a entupimento na rede coletora, bem como danos ao meio ambiente, toda residência deve ter uma caixa de gordura, com mecanismo de retenção da gordura na superfície e a limpeza da caixa deverá ser realizada semestralmente, dependendo da quantidade de resíduo produzido por cada condômino.

O correto é armazenar o líquido em uma garrafa pet para ser entregue as cooperativas que utilizam essa substância para produzir produtos variados, como por exemplo o sabão ecológico.

Alternativas

De acordo com a Embasa, um litro de óleo despejado no esgoto pode contaminar um milhão de litros de água. Então é hora de procurar alternativas para reciclar o óleo de cozinha e colaborar com o nosso planeta.

Doar óleo de cozinha é uma forma de ajudar as cooperativas ou ONGs que trabalham com essa substância, pois além de evitar danos ao solo ou a poluição da água, essa atitude facilita na geração de renda das pessoas que trabalham diretamente nessa atividade. O óleo reciclado pode se transformar em diversos produtos, como por exemplo sabão, sabonete, e até ração para animais.

Um litro de óleo é capaz de poluir um milhão de litros de água, mas tem saída pra esse problema e ela começa com a boa vontade da população.

Coleta e descarte de óleo em condomínio

Separar o óleo de cozinha é bom para o condomínio e essencial para o meio ambiente

Os 3 passos para o descarte e coleta de óleo em condomínios

  1. DESCARTE: para descartar o óleo usado na cozinha é preciso esperar que o mesmo esfrie para, então, o colocá-lo, com a ajuda de um funil, em uma garrafa PET.

  2. ARMAZENAMENTO: quando a garrafa estiver cheia, o morador deve ser orientado a destinar a garrafa no local estipulado pelo condomínio como ponto de coleta.

  3. COLETA: atualmente, há diversas entidades - em diferentes regiões - que fazem o trabalho de retirada do óleo de cozinha no local. O condomínio deve buscar firmar uma parceria com uma dessas empresas para que o processo seja devidamente implementado.

O síndico não precisa aprovar em assembleia a coleta seletiva do óleo, mas é interessante aproveitar um encontro do tipo para iniciar a campanha de conscientização sobre o assunto.

Segue abaixo empresa em Salvador para que o síndico possa entrar em contato:

· CamaPet (Salvador e Lauro de Freitas)

Outras regiões: além dessas, há diversas entidades espalhadas pelo Brasil que realizam esse tipo de serviço. Com uma busca no Google é possível encontrar empresas ou serviços na sua região.

Contato

Rua Doutor Mario Rego dos Santos - nº 36

Vila Laura

Cep: 40270-200

 

Tel: (71) 3234-9150

email: comercial@raneadm.com.br

Condomínio Online
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2015 Todos os direitos reservados.